AgronegócioDestaqueNotícias

Boi estabiliza mas carne bovina está em queda

O mercado brasileiro de milho também opera em ritmo de final de ano e seguiu pelo segundo dia consecutivo sem alterações

  • Boi: arroba fica estável em São Paulo; atacado tem novo recuo

  • Milho: com mercado em ritmo de final de ano, preços seguem sem alterações

  • Soja: alta do dólar traz leve valorização para saca

  • Café: arábica volta a subir em Nova York e no Brasil

  • No Exterior: Banco Central dos EUA mantém juros próximos de zero

  • No Brasil: Congresso aprova Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2021

Agenda

  • Brasil: Relatório Trimestral de Inflação (Banco Central)

  • Brasil: dados das lavouras do Rio Grande do Sul (Emater)

  • EUA: exportações semanais de grãos (USDA)

Boi: arroba fica estável em São Paulo; atacado tem novo recuo

A arroba do boi gordo negociada em São Paulo ficou estável após uma grande sequência de quedas no mercado físico e mirando a recuperação dos preços nos contratos futuros. Porém, a carne bovina vendida no atacado recuou de acordo com a consultoria Safras & Mercado. O corte dianteiro e a ponta de agulha caíram 20 centavos na comparação diária e ficaram em R$ 14,60 o quilo.

Pelo terceiro dia consecutivo, os contratos futuros do boi gordo negociados na B3 subiram e seguem demonstrando acomodação da pressão de baixa no mercado físico. O ajuste do vencimento para dezembro passou de R$ 254,30 para R$ 255,65.

Milho: com mercado em ritmo de final de ano, preços seguem sem alterações

O mercado brasileiro de milho opera em ritmo de final de ano e seguiu pelo segundo dia consecutivo sem alterações relevantes nos preços. Segundo a consultoria Safras & Mercado, algumas empresas já encerraram suas atividades no ano e com isso, o mercado esteve praticamente parado nesta quarta-feira, 16.

Assim como no caso do boi gordo, os contratos futuros do milho na B3 tiveram o terceiro dia consecutivo de ajustes positivos. Com o balcão parado, a bolsa opera seguindo movimentos técnicos de cobertura de posições vendidas e de olho na dinâmica do câmbio. O ajuste do vencimento para janeiro passou de R$ 76,35 para R$ 77,15 por saca.

Soja: alta do dólar traz leve valorização para saca

O dólar subiu 0,34%, de R$ 5,0889 para R$ 5,1062, e trouxe leve valorização para a saca de soja no mercado brasileiro. Os preços ainda contaram com a ajuda do exterior, pois, apesar de a oleaginosa negociada em Chicago fechar em leve baixa, os contratos futuros operaram a maior parte do dia em alta e impulsionam a valorização no Brasil.

No exterior, como dito anteriormente, o pregão foi marcado por alta volatilidade. Os sinais de demanda pela soja norte-americana chegaram a levar os preços para perto dos US$ 12 por bushel. Porém, a cotações perdeu força neste nível e recuou com ajustes técnicos.

Café: arábica volta a subir em Nova York e no Brasil

As cotações do café arábica voltaram a subir tanto em Nova York como no mercado físico brasileiro. Internamente, os preços também foram ajudados pela alta do dólar em relação ao real. No exterior, a sustentação veio da elevação do petróleo e com o momento de otimismo dos investidores em relação à volta da demanda a partir do aumento da vacinação.

O indicador do café arábica do Cepea subiu de R$ 596,64 para R$ 608,32 por saca. Dessa forma, a cotação recuperou totalmente as perdas observadas na primeira quinzena de dezembro e agora sobe 0,2%.

No Exterior: Banco Central dos EUA mantém juros próximos de zero

O Banco Central dos Estados Unidos (Federal Reserve – FED) manteve as taxas de juros do país próximas de zero na última reunião de política monetária do ano. Além disso, o comunicado mostrou que a autoridade monetária se comprometeu a seguir comprando US$ 120 bilhões em títulos mensalmente até que a economia volte ao nível de pleno emprego e a inflação volte à meta.

Os mercados reagiram de maneira positiva à sinalização de mais estímulos monetários por um período prolongado e seguem mirando o acordo para um pacote fiscal. Líderes dos partidos democrata e republicano voltaram a dizer que estão avançando nas negociações de uma ajuda de US$ 900 bilhões à economia norte-americana.

No Brasil: Congresso aprova Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2021

O Congresso Nacional aprovou nesta quarta-feira o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2021 (PLN 9/2020). O texto prevê um aumento de 4% no salário mínimo para R$ 1088, o maior déficit primário dos últimos oito anos, de R$ 247,1 bilhões, e um crescimento de 3,2% do PIB.

A bolsa brasileira teve mais um dia de alta expressiva apoiada novamente pela entrada de capital estrangeiro. As altas modestas nas bolsas norte-americanas também ajudaram. Agora, o Ibovespa já sobe quase 2% no acumulado do ano.

Canal Rural

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios