DestaqueMato GrossoNotícias

BR-158 não passará por área indígena; obra será pelo Contorno Leste, define DNIT

Com essa definição, seis municípios no norte Araguaia serão atendidos pela pavimentação

Mato Grosso recebeu boas notícias sobre o andamento de importantes rodovias do Estado. Durante reunião no Ministério da Infraestrutura, realizada nesta quinta-feira, 04, com o senador Wellington Fagundes (PL-MT), o ministro Tarcísio de Freitas, diretores do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) sinalizaram medidas para consolidação dos projetos da BR-158 e da parte concessionada da BR-163.

No caso da BR-158, considerada a mais importante rodovia da região do Vale Araguaia e fundamental para o escoamento da produção agrícola, ficou definido que o DNIT adotará o traçado que contorna a Reserva Indígena Maraiwatsede. O contorno terá um aumento de 70 quilômetros comparado ao traçado original, mas atenderá a recomendação da Fundação Nacional do Índio (Funai).

Além de evitar conflitos de segurança com a comunidade indígena, o novo traçado da BR-158 será capaz de assimilar tráfego dos municípios além de Alto Boa Vista, Serra Nova Dourada e Bom Jesus do Araguaia, solucionando questões importantes em uma única alternativa. “Isso coloca fim a uma discussão e atende aos interesses da comunidade indígena Xavante. Agora, vamos avançar nessa vertente para viabilizar essa rodovia para Mato Grosso” – disse o senador do PL.

De toda essa extensão da BR-158, menos de 123 quilômetros ainda não foram asfaltados. “Há um anseio enorme da população do Araguaia” – disse Fagundes na reunião. Além do escoamento da produção e recebimento de insumos, atendendo toda a região Noroeste do Estado, a BR-158 vai permitir a interligação com os portos do chamado “Arco Norte da Logística”, no Sul do Durante a reunião, o ministro Tarcísio de Freitas adiantou também que já há um entendimento favorável para aprovação do projeto de substituição do controle acionário da concessionária Rota do Oeste. Inclusive, a equipe técnica da agência aprovou o plano de execução de obras apresentado pelo novo grupo da concessão. Atualmente, a concessionária vem realizando apenas obras de manutenção da rodovia, tendo abandonado por completo o plano de investimentos.

Um estudo elaborado pela consultoria GO Associados indicou que a possibilidade de relicitação da malha viária, com a renúncia da concessão, poderia atrasar em pelo menos cinco anos o plano de investimentos da rodovia, no trecho que liga Cuiabá a Sinop. O trabalho recomenda a troca do controle acionário da concessionária para que se promova um novo plano de investimentos ao longo dos 850 quilômetros de concessão da rodovia em Mato Grosso.

“A boa notícia é que a equipe técnica de campo da ANTT aprovou o plano de execução de obras apresentado pelo novo grupo da concessão. No entanto, há necessidade de a equipe de técnicos da ANTT analisar os estudos, mas o que importa é que temos mais um caminho importante já sinalizado” – assinalou.

Recursos para BR-174 – Na reunião que tratou da infraestrutura de transportes em Mato Grosso, o diretor-geral do DNIT, general Santos Filho, confirmou a garantia de R$ 30 milhões para a execução da manutenção da BR-174, entre Castanheira, Juruena e Colniza. Os recursos garantem trafegabilidade relativa na rodovia, que registra grandes atoleiros no período chuvoso.

O futuro da BR-174 passa por um convênio firmado há quase 7 anos, entre o DNIT e a Secretaria de Infraestrutura de Mato Grosso. Segundo o diretor-geral do departamento, a revisão do projeto deve ser finalizada neste ano, e a perspectiva é que as obras comecem em 2021. O investimento previsto gira em torno de R$ 685 milhões.

Semana 7

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios