AgronegócioCommoditiesDestaqueDólarMilhoNotíciasSoja

Dólar compensa queda nas cotações dos grãos, analisa Cogo

"Nosso recado é que adiantem as vendas antecipadas, mas sempre com rédeas, fazendo compra de insumos na mesma proporção", sugere o especialista

Os preços da soja e do milho tiveram quedas contínuas no mercado externo. Mas, segundo a consultoria Cogo Inteligência em Agronegócio, os preços ainda estão em patamares elevados e a safra pode ficar acima do esperado com a melhora do clima nos EUA e a queda do dólar.

“Há várias questões pontuais em termos de infraestrutura logística que prejudicaram a safra em Louisiana, Mississipi, Nova Orleans e Golfo do México, que embarca 60% da safra americana, então essa é mais uma pressão momentânea junto com a eminência da chegada de uma nova safra, provavelmente acima do esperado inicialmente pelo USDA”, analisa o diretor da consultoria, Carlos Cogo.

O especialista também cita a queda do preço do petróleo, de US$ 65 para US$ 61 o barril, que influencia os preços do biodiesel. “É uma combinação de fatores que levou o mercado de soja a perder o patamar de US$ 13 por bushel, que era praticado em março, para US$ 11,97 em julho”, observa Cogo.

No mercado futuro, a cotação do dólar vem crescendo, de acordo com análise do consultor. De R$ 5,27 em março de 2022, para R$ 5,75 em março de 2023 e R$ 6,44 em julho de 2024. “Boas oportunidades de negócio surgem em função disso”, indica Cogo, que prevê os preços da saca de soja nas regiões Sul e Sudeste, por exemplo, também em crescimento: R$ 147,21 (março/22), R$ 153,50 (mar/23) e R$ 165,72 (jul/24).

“Alguns produtores estão aproveitando isso, especialmente no Centro-oeste, mas não no só: a alta do dólar que vem compensando a queda das cotações em Chicago”, explica o analista. “Nosso recado é que façam isso, adiantem as vendas antecipadas, mas sempre com rédeas, fazendo uma contrapartida de aquisição ou programação de compra de insumos na mesma proporção que se faz a venda da soja”, conclui.

 

Canal Rural

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios