AgronegócioDestaqueNotícias

Dólar volátil prejudica e cotações da soja recuam no Brasil

Não houve registro de grandes volumes sendo negociados nas principais praças do país, segundo da Safras & Mercado

A volatilidade do dólar e dos preços na Bolsa de Chicago prejudicaram os negócios com soja no Brasil nesta quinta-feira (04/03/21). Os preços apresentaram poucas oscilações. Não houve registro de grandes volumes sendo negociados nas principais praças do país, segundo da Safras & Mercado.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 171. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 170. No porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 176 para R$ 177.

Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 159 para R$ 158 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou de R$ 172 para R$ 171.

Em Rondonópolis (MT), a saca permaneceu em R$ 163 , Querência (MT) R$ 158 (Imea) . Em Dourados (MS), a cotação baixou de R$ 155 para R$ 154. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 160.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a quinta-feira com preços em leve alta, em dia de muita volatilidade.

O mercado iniciou o dia em alta, refletindo as preocupações com o excesso de chuvas no Brasil e com a estiagem na Argentina. A partir do meio-pregão, após o petróleo subir mais de 5%, os contratos subiram quase 2%, atingindo as máximas da sessão.

Mas o clima de aversão ao risco no financeiro acabou apagando a valorização. O mercado mostrou preocupação com o tom do discurso do presidente do Federal Reserve (Fed) Jerome Powell e chegou a operar no território negativo. As cotações só se recuperaram perto do final do dia.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com alta de 3 centavos de dólar por libra-peso ou 0,21% a US$ 14,10 por bushel. A posição julho teve cotação de US$ 13,95 por bushel, com ganho de 3,50 centavos ou 0,25%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo recuou US$ 2,20 ou 0,52% a US$ 416,60 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em maio fecharam a 50,71 centavos de dólar, com ganho de 0,93 centavo ou 1,86%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,03%, sendo negociado a R$ 5,6600 para venda e a R$ 5,6580 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,5450 e a máxima de R$ 5,6850.

Agência Safras

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios