Covid-19DestaqueMato Grosso

Estado descarta lockdown e decide manter comércio aberto até às 19h

Governador descarta fechar 100% das atividades econômicas

O governador Mauro Mendes tem encaminhado nas reuniões que conduz nesta segunda-feira a proposta de um toque de recolher em todo Estado pelo período de 14 dias. A proposta deve ser oficializada após reunião com os prefeitos dos 141 municípios na tarde de hoje e, a partir daí, ser editado um decreto.

De acordo com o presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, a proposta do governador é o fechamento das atividades não essenciais entre às 19h00 e 5h00. Com isso, aumentaria a fiscalização. “Fiscalização seria intensificada por parte da Polícia Militar e apenas atividades essenciais poderão estar trafegando após as 19h00”, esclareceu o conselheiro.

Aos sábados, o comércio passaria a funcionar das 5h00 às 12h00. Aos domingos, todas as atividades não essenciais devem estar fechadas.

Segundo Maluf, o toque de recolher teria validade por duas semanas, com o Governo acompanhando a evolução da pandemia neste período. “Nesse período vão ser feitos os estudos sobre o impacto disso em relação à Covid”, colocou Maluf, que descartou o fechamento total das atividades não essenciais. “Isso não foi discutido”.

Durante os próximos 15 dias, o governador pediu aos chefes de poderes que os atendimentos físicos nos órgão sejam suspensos.

ESCOLAS

Nesta segunda-feira, as escolas particulares retomaram as aulas no ensino híbrido – por meio de revezamento. Na reunião, foi colocado que elas poderão estar funcionando no período das 5h00 às 19h00.

Já as escolas estaduais deverão manter apenas o ensino remoto.

SERVIÇOS ESSENCIAIS

São considerados serviços essenciais que poderão funcionar após às 19h00: farmácias, serviços de saúde, funerárias, postos de combustível (exceto conveniência) e indústrias.

 

Folha Max

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios