DestaqueSaúde

Fiocruz deve entregar seis milhões de doses de vacina por semana

A partir de abril, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve entregar ao Ministério da Saúde seis milhões de doses da vacina de Oxford/Astrazeneca contra a covid-19. A medida foi anunciada nesta última quarta-feira (17/03/21).

O anúncio foi feito pela presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, em companhia do atual ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Nísia comentou que, hoje, foi entregue 1,08 milhão, e que até o fim do mês de março ainda serão enviadas mais doses, totalizando 3,8 milhões.

Em abril, serão produzidas mais de 20 milhões de doses por mês. “Serão entregas semanais, acordadas com o Programa Nacional de Imunização, sob a coordenação da Secretaria de Vigilância em Saúde”, disse Nísia.

Pazuello disse que, hoje, o Brasil tem capacidade de fabricar o ingrediente farmacêutico ativo (IFA), principal insumo das vacinas contra o novo coronavírus. “Está pronto isso, não tem porque não dizer isso. Seremos submetidos a uma análise da Anvisa para as boas práticas de fabricação de IFA”, declarou. Segundo o ministro, porém, somente em maio começarão a serem feitos os lotes-piloto e os ajustes. Por ora, a Fiocruz fabrica o imunizante com IFA importado.

A produção em massa também será possível porque, na semana passada, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou o registro definitivo da vacina de Oxford. Desta forma, a vacina hoje não tem apenas a permissão emergencial.

Troca

Pazuello será substituído a qualquer momento pelo novo ministro, Marcelo Queiroga, que também esteve presente na cerimônia desta quarta-feira (17). A troca se deu porque o presidente Jair Bolsonaro procura alguém que trate da doença de forma direta. Queiroga é cardiologista, e Pazuello não tem formação relacionada à saúde.

Embora de perfis diferentes, os trabalhos devem ser semelhantes. É o que pregam Querioga, Pazuello e Bolsonaro.

Jornal de Brasília

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios