DestaqueMato GrossoNotíciasSaúde

Governador de MT participa de reunião com Bolsonaro e Guedes por videoconferência e cobra verba do Fundo de Exportação

O recurso deve ser usado no combate ao coronavírus em Mato Grosso e dar apoio à economia, já que com a suspensão do comércio a previsão do estado é arrecadar 30% a menos em abril. Governo federal não garantiu a liberação da verba.

O governador Mauro Mendes (DEM) participou de uma reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e outros governadores dos estados do Centro Oeste, nesta terça-feira (24), e cobrou a liberação do dinheiro do Fundo de Auxílio de Fomento às Exportações (FEX).

O recurso deve ser usado no combate ao coronavírus em Mato Grosso e dar apoio à economia do estado, já que com a suspensão do comércio a previsão é arrecadar menos. Em abril, por exemplo, a estimativa é arrecadar 30% a menos.

O FEX é um recurso que serve para compensar o que os estados deixam de arrecadar de ICMS por conta da Lei Kandir, que isenta os produtores rurais de pagarem imposto estadual sobre os produtos exportados.

Segundo Mauro Mendes, o governo federal não pagou o FEX referentes aos anos de 2018 e 2019. São R$ 500 milhões referentes a cada ano, ou seja, o estado espera receber R$ 1 bilhão do FEX.

“É muito importante que seja cumprido o compromisso feito no ano passado sobre o pagamento da desoneração da Lei Kandir, o FEX. É preciso que seja feito o pagamento para ajudar os estados do centro-oeste. Nós temos tido muita independência em tocar nossos estados com arrecadação própria, mas nesse momento o Governo Federal precisa dar suporte”, declarou.

O governo federal não garantiu urgência no pagamento e afirmou que vai aguardar o trâmite de pré-acordo judicial que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), para só então proceder com a liberação do recurso.

Também participaram da reunião os governadores Ronaldo Caiado (Goiás), Ibaneis Rocha (Distrito Federal) e Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul).

G1 MT

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios