DestaqueHomicídioMato GrossoPolícia

Justiça decreta prisão de PMs que mataram empresário em MT

Crime foi motivado pelos familiares com a intenção de apropriar-se do patrimônio da vítima

Dois policiais militares envolvidos na morte do empresário mato-grossense Gilberto de Oliveira Couto tiveram nesta quinta-feira (16/12/21) a prisão temporária convertida em prisão preventiva pelo juiz da Vara Única da Comarca de Guarantã do Norte, Jean garcia de Freitas Bezerra.

No dia 20 de novembro, a Polícia Civil havia prendido os dois PMs em Sinop (500 km ao Norte de Cuiabá). Na ocasião, também foi cumprido mandados de busca e apreensão.

A Corregedoria-Geral da Polícia Militar diz que deu apoio à Polícia Civil na prisão dos PMs suspeitos de homicídio qualificado. Informou ainda que um dos militares preso já responde a cinco processos por infração disciplinar que pode levá-lo à exclusão da corporação.

O crime ocorreu no dia 25 de maio quando o empresário foi baleado por quatro tiros na cabeça e nas costas na frente da residência dele no bairro Jardim Vitória, em Guarantã do Norte. O corpo da vítima estava a aproximadamente quatro metros da motocicleta dele.

De acordo com as investigações, o crime foi motivado por questões patrimoniais relacionadas a divisões de bens de herança na família. Por isso, tiveram a prisão decretada a ex-mulher do empresário, o atual namorado dela e o filho da vítima. Porém, todos conseguiram habeas corpus no Tribunal de Justiça.

Por outro lado, o Tribunal de Justiça determinou o bloqueio de R$ 20 milhões em patrimônio do empresário falecido. A quantia permanece sob guarda judicial.

 

Folha Max

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios