DestaqueMato GrossoSaúde

Justiça determina instalação de 15 novos leitos de UTI para pacientes com Covid-19 em Cáceres (MT)

estado deve providenciar também 20 leitos de enfermaria, com equipes especializadas e protegidas com os equipamentos de proteção individuais (EPIs) adequados. Por G1 MT

A Justiça de Mato Grosso determinou, nesta quinta-feira (4), a ampliação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao tratamento da Covid-19 nos hospitais de Cáceres, a 250 km de Cuiabá.

De acordo com a a decisão judicial, o estado deve providenciar a instalação de 15 leitos de UTI adulto, além de 20 leitos de enfermaria, todos devidamente estruturados, com equipes especializadas e protegidas com os equipamentos de proteção individuais (EPIs) adequados.

Até que sejam implantados estes leitos, o governo deve fazer o encaminhamento para outros locais e tratamento adequado dos pacientes acometidos de Covid-19.

A Justiça estabeleceu ainda que o governo estadual realize estudo epidemiológico e estatístico a respeito da região Oeste, no prazo de 10 dias úteis.

O prazo estabelecido pelo juízo é de 15 dias para início das obras e 40 dias para finalização, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil e configuração do crime de desobediência.

Segundo a decisão, as projeções apresentam a probabilidade de que o pico de casos nos municípios da Região Oeste ocorra entre julho e agosto.

“Serão, em média, 3.000 casos leves com orientação de isolamento domiciliar e monitoramento pelos profissionais da saúde, podendo chegar, de forma acumulada nos 3 meses, 500 hospitalizados predominante de casos moderados que necessitam de acompanhamento e tratamento clínico”, diz trecho.

Até esta quinta-feira (4), segundo a SES, já foram 36 casos de Covid-19 confirmados em Cáceres e quatro pessoas morreram em decorrência da doença.

G1 MT

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios