AgronegócioDestaque

Leite: produtores de MT abatem vacas para aproveitar alta da arroba

Vacas improdutivas costumam ser descartadas nesta época do ano para renovar o rebanho e manter a produtividade média da fazenda. Mas, animados com a valorização da arroba, pecuaristas estão descartando até mesmo fêmeas em lactação.

Para o produtor de leite Adão Onésio, esses animais não farão falta. “Estou sossegado com a reposição. Descartamos aqueles que não têm um futuro tão promissor, uma produção muito boa”, diz.

O pecuarista Rodrigo Mores não pensou duas vezes: aproveitou o momento para vender 12 vacas, algumas em lactação. Ele acredita ter feito um bom negócio. “Consegui R$ 185 por arroba. Em outros anos, não conseguia isso. O gado leiteiro é menos valorizado porque é um animal com pouco acabamento”, conta.

Mas o abate de vacas leiteiras acende um sinal de alerta no setor, já que pode comprometer a oferta de leite no mercado e aumentar ainda mais os custos de produção. “Se descartar muitos animais, a produção tende a cair. Isso é ruim para o produtor e para a indústria”, diz o gerente técnico da Cooperativa de Leite de Juscimeira (Comajul), Valdair Martinez.

Ele afirma que se a realidade do produtor fosse de vendas diretas de leite, até faria sentido. “Mas, infelizmente, não é. Vai acabar ficando nas mãos de atravessadores, que puxarão o preço para baixo para ganhar margem”, afirma.

O consultor do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Fernando Bueno alerta que quando o preço do leite voltar a subir, o produtor que vendeu pode não ter produção para negociar. “E ele não é um produtor de corte, não tem animais pra vender sempre”, diz.

Atualmente, o preço médio pago pelo litro de leite ao produtor mato-grossense está entre R$ 1,28 e R$ 1,30. Já o custo de produção é estimado em R$ 0,90 por litro.

Fonte:Canal Rural

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios