DestaqueMato GrossoPolíciaPolítica

MPF denuncia e governador de MT vira réu por falsidade ideológica

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e a ex-juíza trabalhista Carla Reita Faria Leal foram denunciados criminalmente pelo Ministério Público Federal e viraram réus por falsidade ideológica no caso do leilão de um apartamento de luxo arrematado pelo político e, posteriormente, transferido para a ex-juíza.

O caso foi revelado pelo Portal Isso É Notícia e já resultou na aposentadoria compulsória da ex-magistrada e em uma ação de improbidade administrativa onde ambos também são réus.

A ação penal, proposta no dia 6 de agosto, foi recebida no dia 13 do mesmo mês pelo juiz Paulo César Alves Sodré, da 7ª Vara da Justiça Federal de Cuiabá. – confira a íntegra da decisão no fim da reportagem

Na ação, a procuradora da República, Ariella Barbosa Lima, diz que a Mauro Mendes arrematou um apartamento de luxo na Praça Popular, região nobre de Cuiabá, pelo valor de R$ 300 mil e, pouco tempo depois, o repassou à Carla Reita pelo valor de R$ 330 mil, conforme lavra registrada em cartório.

Para o MPF, tudo não passou de uma simulação para contornar a vedação legal que a magistrada teria para arrematar o imóvel, já que era funcionária do TRT e também tinha atuado no processo de execução.

Para justificar a transação, Mauro e Carla deram uma versão à Justiça de que Mauro teria pego os R$ 300 mil emprestados com a juíza e que o apartamento seria o pagamento pelo empréstimo.

No entanto, eles não conseguiram comprovar o empréstimo que pode ter sido inventado para dar ares de legalidade à transação.

O MPF também pediu à Justiça Federal que decretasse a prescrição do crime de fraude em lelilão judicial. O pedido foi aceito pelo juiz Paulo Sodré.

Carla reita Faria Leal

Juíza foi aposentada compulsoriamente pelo TRT-MT

 

Empréstimo falso

Um dado utilizado pelo Ministério Público para embasar a denúncia foi o fato de que Mauro Mendes alegou ao TRT e ao MPF que o repasse do apartamento à Carla era um pagamento de um empréstimo que ele teria feito com a ex-juíza no valor de R$ 300 mil.

Mas, no mesmo período, a Polícia Federal descobriu que Mauro tinha R$ 3.523.459,08 em sua conta corrente, fato que reforça a tese de que o empréstimo foi, na verdade, inventado.

“Verifica-se, assim, que, em verdade, não houve qualquer empréstimo/mútuo entre os acusados, que se valeram de informações inverídicas perante os membros da comissão do TRT-PADMag nº 0050015-21.20147.5.23.000 e a Receita Federal do Brasil, com o intuito de dar aparência à exceção legal do artigo 498 do Código Civil”, diz a denúncia do MPF.

Se condenados, Mauro e Carla podem pegar de um a cinco anos de cadeia, pena máxima prevista para o crime de falsidade ideológica (artigo 299 do Código Penal).

MPF mauro Mendes denúncia

 

O que dizem os acusados

A assessoria do governador de Mato Grosso foi procurada, mas nenhum posicionamento foi enviado ao portal. A ex-juíza Carla Reita se manifestou sobre a denúncia e, por meio de seu advogado, enviou a seguinte nota:

1- o imóvel foi adquirido a partir de transação comercial válida, devidamente registrada no cartório de imóveis e declarada no imposto de renda.

2- Não houve a falsificação ideológica de qualquer documento.

3- Confia na Justiça Federal e tem a absoluta certeza de que a demanda do MPF será julgada improcedente.

Carla Reita Faria Leal

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios