DestaqueMato GrossoPolícia

MT- Adolescente é perseguida por mais de 1 mês e descobre que foi vendida por R$ 1

Uma equipe de conselheiras tutelares acompanhou o caso junto à polícia e desvendou o motivo da perseguição na última quarta-feira (08/07) em Nova Guarita.

Um menino de apenas 13 anos, nome não divulgado, ‘vendeu’ a própria irmã, 15, por R$ 1 e a adolescente passou a ser perseguida por um ‘desconhecido’ de 45 anos por mais de um mês no município de Nova Guarita (676 km da Capital).

O fato foi descoberto na última quarta-feira (08), quando a menor e a mãe foram à PM denunciar o caso.

De acordo com a vítima, ela percebeu o acusado ‘atrás’ dela, principalmente, todas as quartas-feiras quando ia à escola buscar as tarefas para os irmãos. Nesses dias, por duas vezes, o homem tentou puxar assunto com a menor e a chamando pelo nome, mostrando que ‘a conhecia’.

Assustada, a adolescente contou o que estava acontecendo à mãe e as duas foram ao Núcleo da Polícia Militar (NPM) denunciar o fato, onde o Conselho Tutelar ainda foi acionado para acompanhar o caso, já que se trata de crime envolvendo menor de idade.

A adolescente relatou os fatos novamente na unidade policial, para que as conselheiras e os policiais soubessem com detalhes sobre os fatos e ainda repassou o endereço do acusado.

A PM se deslocou ao endereço, onde encontrou o homem e este teria ficado completamente alterado e tentado reagir à abordagem policial, quando os militares precisaram imobilizar e algemar o ‘suspeito’.

O homem foi colocado na viatura e encaminhado ao NPM, onde prestou esclarecimentos sobre o fato. O ‘suspeito’ negou a perseguição e teve que ser liberado.

Porém, as conselheiras estavam acompanhando o fato junto à família e as profissionais conseguiram descobrir que o problema começou após o irmão da adolescente, de 13 anos, vender a menor ao acusado, que pagou R$ 1.

As conselheiras relataram o caso à PM que foram novamente atrás do homem e a ocorrência registrada por crime de corrupção de menores.

O documento foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, responsável por investigar o crime.

DA REDAÇÃO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios