DestaqueMato GrossoPolícia

MT- Preso em flagrante cabeleireiro que receptava e vendia cestas básicas desviadas de programa do governo

A campanha Vem ser Mais Solidário foi criada para arrecadar alimentos e materiais de higiene e distribuí-los a famílias durante a pandemia

Policiais civis de Santo Antônio de Leverger prenderam em flagrante nesta última sexta-feira (07/05/21), um cabeleireiro de 35 anos por receptação de cestas básicas desviadas da campanha Vem ser Mais Solidário, do Governo do Estado.

A polícia Civil  recebeu informações de que um morador da cidade estava vendendo as cestas básicas. Nos pacotes de alimentos, que vem identificados com a logomarca oficial da campanha coordenada pela primeira-dama Virgínia Mendes e distribuídas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), foram colocados adesivos com a palavra SACOLÃO para esconder a identificação original das cestas. A campanha foi instituída para atender famílias em situação de vulnerabilidade desde o início da pandemia do coronavírus e as cestas contém itens alimentícios, de higiene pessoal e de limpeza.

Durante as diligências, a equipe de investigação chegou até uma mulher que relatou que estava revendendo as cestas básicas a mando do cabeleireiro que foi detido. A partir das informações coletadas, os policiais realizaram novas diligências e na manhã desta sexta-feira flagraram o exato momento em que o suspeito fazia a entrega das cestas para revender.

O suspeito foi encaminhado à delegacia, onde foi ouvido em depoimento pelo delegado Adalberto Oliveira. Ele declarou que comprava os sacolões por R$ 30,00 de uma pessoa, para depois revendê-los. Após a autuação em flagrante pelo crime de receptação, o suspeito pagou a fiança estipulada e responderá em liberdade.

O delegado informou que até o momento foram identificadas 30 cestas desviadas, mas o número pode ser maior. A investigação prossegue para identificar a responsabilidade de outros envolvidos no desvio das cestas básicas.

Fonte: PJC MT

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios