BrasilDestaqueNotíciasPolítica

“Não tenho medo de perder a vida”, diz delegado exonerado após investigar Salles

Nesta segunda-feira (26/04/21), o delegado da Polícia Federal  Alexandre Saraiva, participou de uma audiência pública promovido pelas Comissões de Legislação Participativa e de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados. Ele foi exonerado da superintendência da PF no Amazonas após apresentar  notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Segundo Saraiva, o ministro é conivente com a grilagem de terras feita em áreas de proteção permanente no Pará.

Logo no início da audiência, deputados bateram boca e o clima tenso seguiu até o fim da reunião. Vitor Hugo (PSL-GO), aliado de Jair Bolsonaro, tentou impedir o depoimento de Saraiva. O parlamentar disse que o delegado deveria falar à Comissão de Meio Ambiente ou à CCJ.

O deputado federal Sanderson (PSL-RS) afirmou que o delegado deveria se ater às suas funções administrativas e não “extrapolar para as instâncias políticas”. Segundo ele, o policial está em “maus lençóis” ao “conduzir um inquérito de forma totalmente apaixonada”.

Alexandre Saraiva disse que ao entrar na polícia sabia que estava correndo risco de morte, por isso, não tinha “medo de perder o emprego”. “O senhor estava me ameaçando. Não tenho medo nem de perder a vida”, disse o policial que afirmou não defender nenhuma ideologia política ou partidária. “Quero defender o meio ambiente pensando no Brasil”.

Confira a discussão que iniciou a sessão:

 

UOL

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios