AgronegócioClima TempoDestaque

Previsão do tempo: confira se vai chover na sua região nesta semana

Precipitação finalmente enfraquece no Sul e tempo se mantém firme em boa parte do país; mas ainda há regiões onde pode haver chuva

Depois de várias semanas com chuva forte, a precipitação finalmente enfraquece na região Sul. Além disso, a previsão de ventos de norte e temperaturas mais elevadas que o normal ajudam a diminuir a umidade do solo e a retomada ou aceleração de atividades de campo como o plantio do trigo no Rio Grande do Sul e colheita do milho safrinha no Paraná. No sul gaúcho, porém, a chuva será mais intensa, com acumulados de 20 a 30 milímetros.

O tempo também permanecerá seco em boa parte do Sudeste, Centro-Oeste e Matopiba (região que compreende o Tocantins e áreas dos estados do Maranhão, Piauí e Bahia), favorecendo a colheita de café, milho safrinha, laranja, cana-de-açúcar e algodão, além de hortifrútis.

Ao longo da costa, desde o Espírito Santo até o Maranhão, há previsão de chuva frequente, que alcança o café conilon do Espírito Santo e Zona da Mata de Minas Gerais; cacau e pastagens do sul da Bahia; feijão e milho da região chamada de Sealba (áreas de Sergipe, Alagoas e Bahia); e cana-de-açúcar de Alagoas, Pernambuco e Paraíba. No litoral capixaba, espera-se algo entre 30 e 40 milímetros, mas a costa do Nordeste receberá mais de 50 milímetros.

A partir de meados da semana que vem, uma frente fria levará chuva forte ao Centro-Sul novamente. O acumulado passa de 50 milímetros no Rio Grande do Sul e o Paraná, além dos portos de Santos e Paranaguá. A chuva alcançará também partes de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e café do sul de Minas Gerais.

Apesar do início de semana com frio no Sul e no Sudeste, a temperatura acima da média predomina no Brasil nesta semana. A próxima queda acentuada de temperatura é esperada somente para os últimos dias de junho e, mesmo assim, não alcança áreas produtoras vulneráveis.

Chuva registrada

Nos últimos sete dias, a chuva mais intensa se concentrou entre o Rio Grande do Sul e o sul do Paraná, leste e norte do Nordeste e norte da região Norte. No oeste de Santa Catarina, houve registro da passagem de um tornado pelo município de Descanso, e o acumulado de chuva em Chapecó alcançou 250 milímetros em apenas uma semana, valor 60% maior que o normal para todo o mês de junho.

Há mais de um ano que não chovia dessa forma na região, motivo pelo qual não apenas o oeste catarinense, mas todo o estado, ainda passa por uma estiagem severa. Somada toda a chuva entre junho de 2019 e junho de 2020, o acumulado alcançou apenas 70% do normal. No Sudeste, embora a chuva tenha sido bem mais fraca, ela atrapalhou a secagem de café na Mogiana e sul de Minas Gerais. A região recebeu até 35 milímetros na semana passada.

Nas últimas 24 horas, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registrou chuva de pouco mais de 120 milímetros em Rio Formoso (PE), 40% da média histórica de junho. O município é o nono em produção de cana-de-açúcar no estado, com pouco mais de 475 mil toneladas produzidas em 2018, último ano disponível no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As mudanças de temperatura estão impactando algumas culturas de hortifrútis. A alface no estado de São Paulo, por exemplo, vem sofrendo com maior incidência de doenças por conta do frio. No interior do país, o frio não chegou e a temperatura está acima da média histórica maturando mais rapidamente a lavoura de tomate.

Além de tudo, não chove intensamente sobre o centro do Brasil há pelo menos 30 dias. Com isso, a colheita de algumas culturas avança rapidamente, casos de cenoura e cebola, segundo dados da HF Brasil. O tempo seco também ajuda a colheita de milho safrinha, cana-de-açúcar, café, algodão e laranja.

Canal Rural.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios