AgronegócioDestaqueMato GrossoQuerência

QUERÊNCIA- Inicia colheita de feijão de terceira safra

Começou na terça-feira (18/08), a colheita da safra de feijão em Querência – MT. Na Fazenda Schneider, os irmãos Olimar e Valmir Schneider plantaram 200 hectares da cultura em terceira safra no pivô. Foram 45 hectares do preto e 155 hectares do carioca, num ciclo entre 80 e 95 dias.

Conforme Olimar, a produtividade e os preços estão bons neste ano. “A produtividade está dando acima de 50 sacas por hectare, até 55. E a expectativa de preço é boa, em torno de R$ 200,00 a saca”, falou Schneider.

O custo para a irrigação fica em torno de três sacas por hectare e os pivôs despejam entre 300 e 400 mm por ciclo da cultura do feijão, dependendo quando caírem as últimas chuvas e como está a umidade do solo quando do plantio.

Com a colheita do feijão, os irmãos já preparam as máquinas, as sementes e os insumos para iniciar o plantio da soja na área de pivô. Olimar disse que após o fim do período sanitário que se encerra no dia 15 de setembro, eles já devem iniciar o plantio da soja.

A família Schneider plantou no último ciclo, 1.800 hectares de soja em primeira safra e a mesma quantia de milho em segunda safra. Em maio eles semearam o feijão na área de pivô, fazendo assim três safras por ano. Os Schneider estão esperando as licenças para aumentar a área de pivô para 400 hectares em 2021.

Na Fazenda Schneider foram plantados 200 hectares de feijão em terceira safra no pivô, com produtividade superior a 50 sacas.

Colheita de feijão na Fazenda Schneider; Foto – Reprodução.

Potencial de crescimento

Querência tem atualmente mais de dois mil hectares com pivô, conforme a Aprofir (Associação de produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso). Mais da metade dessa área é ocupada pela cultura do feijão em terceira safra.

Conforme a Aprofir, o Vale do Araguaia tem grande potencial para crescimento da irrigação, com uma capacidade hídrica enorme, tanto de águas superficiais, quanto de águas subterrâneas (aquíferos), mas o principal entrave são as licenças.

A expectativa para os próximos cinco anos, segundo o presidente do Sindicato Rural de Querência – Gilmar Wentz, é que a área de pivô aumente para mais de 15 mil hectares, possibilitando também um crescimento de culturas como a do feijão em terceira safra.

Além da necessidade de irrigação, o crescimento da cultura no Vale do Araguaia depende também da consolidação do mercado.

O preço do feijão varia muito, o que afasta muitos produtores de plantarem o grão. Disse Olimar Schnider

 

 

AGRNotícias

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios