DestaqueMato GrossoQuerênciaSeca

Rio no Pantanal “seca” e cidade de MT pode ficar sem água tratada

Bento Gomes é responsável pelo abastecimento de água de boa parte de Poconé

Um vídeo que circulou nas redes sociais nesta semana mostra a situação de seca registrada no rio Bento Gomes, principal rio do município de Poconé (104 km de Cuiabá). Nas imagens, é possível ver a fina lâmina de água corrente no local em decorrência da falta de chuva. A situação tem preocupado os moradores e gera alerta para o racionamento de água na cidade.

Conforme a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a escassez de água no Rio Bento Gomes, que nasce em Nossa Senhora do Livramento e percorre grande parte do município de Poconé, sendo o responsável pelo abastecimento da cidade, é causado pelo agravamento da seca que atinge a região nos últimos meses.  A região do Morro Grande, onde nasce o rio, apresenta um cenário de seca extrema em 2021. A Sema acompanha os dados gerados por estações telemétricas com mais de 300 pontos de monitoramento de chuva no estado.

O superintendente da Defesa Civil de Mato Grosso, tenente-coronel Marcelo Reveles,explicou que a órgão estadual vem realizando o monitoramento do sistema manancial e alertou aos demais órgãos competentes sobre a situação do rio Bento Gomes, utilizado para o abastecimento de água do município. “A Defesa Civil faz o monitoramento dos sistemas mananciais aqui do Estado e através do sistema monitor de secas a gente sabe como estão todos os rios. Nós alertamos todos os órgãos a respeito dessa seca muito grande que já não é a primeira vez. Existem vários fatores que influenciam nisso, uma delas é a falta de chuva, sem dúvida nenhuma”, disse o superintendente.

Ainda segundo Reveles, a temporada de queimadas também pode contribuir para a falta de água na região.  “As queimadas são o segundo passo da seca, com a falta de chuva o nível da água vai diminuindo, a vegetação vai ficando menos saudável e o calor muito alto pode ocasionar em incêndios e a falta de água influencia principalmente no combate aos incêndios”, comentou.

Além disso, a Defesa Civil não descartou a possibilidade de racionamento e tem orientado a população para que faça o consumo consciente do recurso natural. “Esse é o principal rio da região de Poconé, então a falta de água dele influencia tanto na vida rural quanto na vida urbana. A nossa principal orientação é que a população faça o uso racional da água o ano todo, mesmo na época de chuva em que a água é abundante, porque pode faltar na época de estiagem. Evitar aqueles hábitos de lavar calçada, banhos demorados, se tiver algum vazamento em casa ou na rua que seja providenciado o concerto o mais rápido possível. Porque a água não é um bem infinito”, concluiu Marcelo Reveles.

Da Redação

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios