AgronegócioDestaqueMato GrossoQuerência

Terceira safra já é realidade em Querência com a cultura do feijão

Há alguns anos a segunda safra era um desafio para os produtores de Mato Grosso, que enfrentam em média, quase seis meses de seca. Com a aplicação de tecnologias e variedades precoces, cada vez mais os produtores aumentam a área de segunda safra, seja com milho ou pulses, entre eles o gergelim. O que muitos céticos não acreditavam, é que seria possível uma terceira safra, utilizando a mesma área praticamente no ano todo.

A família Schneider, em Querência-MT, iniciou em setembro de 2019 o plantio de 1800 hectares de soja e em janeiro de 2020 iniciou o plantio da mesma área com milho na segunda safra. Conforme Olimar Schneider, eles devem iniciar a colheita do milho no dia 20 de maio, quando iniciam o plantio de 200 hectares de feijão na terceira safra. Com ciclo entre 80 e 95 dias, a previsão é colher a safra de feijão em agosto, um mês antes do plantio da safra de soja 2020/21.

Olimar Schneider

A cultura do feijão começa a ganhar espaço na região do Vale do Araguaia. Em algumas fazendas o feijão é plantado como segunda safra. Para plantar a cultura como terceira safra é preciso ter pivô (irrigação). No município de Querência, conforme a Aprofir (Associação de produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso), existem 2.036 hectares. Mais da metade dessa área é ocupada pela cultura do feijão na terceira safra.

Conforme a Aprofir, o Vale do Araguaia tem grande potencial para crescimento da irrigação, com uma capacidade hídrica enorme, tanto de águas superficiais, quanto de águas subterrâneas (aquíferos). Porém, existem alguns gargalos para o crescimento da irrigação em todo o Estado, como por exemplo, a morosidade e o preço das licenças ambientais, o excesso de burocracia nas outorgas de uso de águas, bem como a falta de políticas de implantação e modernização das redes de energia (necessárias para a irrigação).

Os irmãos Schneider, Olimar e Valmir, pretendem dobrar a área de irrigação para o próximo ciclo, alcançando 400 hectares, mas aguardam a liberação das licenças. A previsão é que nos próximos dois anos, Querência alcance cinco mil hectares com pivô, fortalecendo ainda mais a realização da terceira safra na região.

Área em pivô com feijão na fazenda da família Schneider

Feijão

A última chuva em Querência caiu no final do mês de abril. Como o plantio do último ciclo da soja para a família Schneider atrasou, fez atrasar também o início do plantio do milho. A colheita do milho, que nos anos anteriores acontecia geralmente no dia 10 de maio, neste ano iniciará no dia 20. Após essa data, eles iniciam o plantio de 200 hectares de feijão de três variedades.

Esse será o terceiro ano com o plantio de feijão pela família Schneider. Nos dois anos anteriores fecharam com uma média de 50 sacas por hectare. O custo para a irrigação fica em torno de três sacas de feijão por hectare e os pivôs despejam entre 300 e 400 mm por ciclo da cultura do feijão, dependendo da umidade do solo quando do plantio.

O preço tem uma variabilidade maior do que outras culturas, mas geralmente vale o dobro que uma saca de soja. “Tem ano que vai a 300 pila e tem ano que vem a 100, feijão varia muito. É uma cultura de um pouco mais de risco do que milho, soja, que você faz contrato antecipado e você já garante o preço e os insumos”, disse Olimar, acrescentado também que o feijão não pode ser estocado por muito tempo porque escurece o grão.

Área em pivô com feijão na fazenda da família Schneider

Por Rafael Govari para a AGRNotícias.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios