DestaqueMato GrossoQuerênciaTrânsito

Querência- MP aciona Município para que sinalize vias públicas e cumpra legislação

A Promotoria de Justiça da comarca de Querência (a 945km de Cuiabá) propôs Ação Civil Pública contra o Município, objetivando o cumprimento da legislação de trânsito, bem como a proteção dos interesses de todos que transitam na cidade, por meio da sinalização adequada das vias públicas.

O Ministério Público requereu, liminarmente, que o Poder Público instale órgão executivo de trânsito, regularize as normas de circulação conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e promova campanhas educativas sobre o tema, sob pena de multa mensal no valor de R$ 20 mil.

No julgamento do mérito, o MPMT pleiteou a condenação do requerido nas obrigações de fazer: planejamento da circulação de pedestres e veículos; implantação e manutenção da sinalização vertical, horizontal e semafórica; exercício do poder de polícia administrativa de trânsito, aplicando as penalidades cabíveis e arrecadando multas; criação de Juntas Administrativas de Recursos de Infrações (JARIs), entre outras medidas relativas à educação para o trânsito e levantamento, análise e controle de dados estatísticos.

O problema do trânsito em Querência se arrasta há anos. Um inquérito civil foi instaurado em 2013 para “averiguar a postura do município na gestão do trânsito, bem como sua integração ao Sistema Nacional de Trânsito, tendo em vista o grande número de acidentes de trânsito na zona urbana e a parca sinalização de trânsito existente nas ruas e avenidas”, após diversas tentativas de solucionar a questão, recomendações, acordos firmados, compromissos assumidos e não cumpridos pelo poder público.

Conforme o promotor de Justiça Edinaldo dos Santos Coelho, “as fiscalizações constantes e o respeito às normas de trânsito salvam vidas”, não restando “outro caminho que não o ajuizamento desta Ação Civil Pública para a concretização de instrumentos de municipalização do trânsito no município de Querência”.

Foto: Agência Brasília.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios